HPV

Confira mais informações sobre a vacina HPV abaixo e também na clínica IC Vacinas, de Maringá.
 

Doença

Doenças causadas pelo PaPiloma vírus Humano.(Câncer e condiloma/verrugas genitais)

Veja os sintomas

Nome da vacina

Gardasil e Cervarix

Fabricantes: Merck Sharp & Dohme Glaxo Smith Kline

Composição da vacina

Proteína na forma de partículas semelhantes ao vírus, adsorvida a uma proteína carreadora, dependendo do laboratório.

Não há presença de conservante nem antibióticos.

Existe mais de uma versão desta mesma vacina?

Oncogênica: contra sorotipo 16 e 18 com adjuvante ASO4
Quadrivalente: contra sorotipos 16, 18, 6 e 11 (lab MSD)

 

Faixa etária

A partir dos 9 anos de idade. Para homens e mulheres laboratório MSD

O ideal é que seja aplicado o esquema vacinal o quanto mais cedo, antes do inicio da atividade sexual.

Número de doses

03 doses

 

Reforço

A possibilidade de reforço ainda é indeterminada.

*já completa 9 anos de acompanhamento sem necessidade de reforço

Associação com outras vacinas

Não

 

Substituição de outras vacinas

 

 

Reações e cuidados

 

 

HPV – Vírus do Papiloma Humano

Além de provocar o papiloma, este vírus está relacionado com câncer do colo do útero e pode acontecer à qualquer momento, em mulheres de todas as idades. Na imensa maioria dos casos o contágio ocorre à partir da adolescência, com o inicio da atividade sexual. Existem aproximadamente 100 tipos diferentes de HPV. Trinta e cinco tipos infectam a mucosa da região anal e genital. Os demais tipos são de baixo risco causando basicamente verrugas genitais, em geral benignas e transitórias.
 

HPV NA MULHER
Causa lesões genitais externas na maioria das vezes. Também pode causar câncer. O câncer do colo do útero é a segunda maior causa de morte por câncer entre mulheres no mundo. A primeira é o câncer de mama.
 
HPV NO HOMEM
Causa lesões genitais externas na maioria das vezes. Também pode causar câncer no pênis e região anal e retal (não é necessário praticar sexo anal. Se houver HPV na área, basta a evacuação ser mais difícil, a ponto de causar microlesoes no anus para que o vírus entre nas células). Pesquisas recentes, que incluíram a população brasileira mostraram que 50% dos homens tem o vírus. Mostraram também que nas populações vacinadas, a incidência de lesões genitais externas foi reduzida em 90%.
 
HPV FORA DA ÁREA GENITAL
Câncer de orofaringe – estima-se que um terço dos tumores que atingem a região da cabeça e pescoço estejam relacionados com o HPV. A relação direta do câncer de orofaringe com o HPV ainda não está totalmente esclarecida, mas a alta positividade do vírus (presente em 80% dos casos) tem levado os pesquisadores a acreditar que este vírus esteja participando ativamente de etapas do desenvolvimento deste tipo de câncer.
O recém nascido, quando contaminado pode desenvolver uma doença chamada de papilomatose, que atinge a região da orofaringe, que tem caráter benigno, mas o tratamento é cirúrgico, mas não curativo, pois recidivas são freqüentes ao longo da vida.

 

TRANSMISSÃO

O HPV é transmitido sexualmente. Porém, mesmo que não haja penetração, pode haver transmissão do vírus pelo simples contato pele e pele.

Existe também a possibilidade de ocorrer transmissão por meio de objetos contaminados. (roupas intimas, toalhas, sabonetes, alicates de unha, equipamentos médicos).

Também pode ocorrer contaminação via sanguínea, pelo canal do parto, e até mesmo pelo beijo.

 

TRATAMENTO

O tratamento é individualizado, dependendo do grau, extensão, número, localização e aspecto das lesões. Somente seu médico poderá definir o melhor tratamento.

 

PREVENÇÃO

O melhor método de prevenção é a vacina, que deve ser feita antes do início da atividade sexual. A maioria dos serviços recomenda a aplicação desta vacina para mulheres à partir dos 9 anos de idade. Esta também é a recomendação de idade para vacinação em homens.

O uso de preservativo, que é eficaz para prevenção de diversas doenças sexualmente transmissíveis, também é recomendado na prevenção da transmissão do HPV. Mas neste caso, deve-se usar a camisinha desde as preliminares e não somente para penetração.

O exame conhecido como PAPANICOLAU permanece como ferramenta essencial e necessária para garantir a saúde da mulher através do diagnostico precoce de lesões do colo de útero com potencial para evoluir para câncer, visto que a vacina não cobre 100% dos sorotipos causadores do câncer de colo de útero e em alguns casos de câncer não são causados pelo HPV.

Calendário de Vacinas SBIM

Prematuro
Criança – 0 a 10 anos
Adolescente – 11 a 19 anos
Gestantes
Adulto – 20 a 59 anos
Idoso – mais de 60 anos
Ocupacional
Pacientes Especiais
Atleta

Entre em contato para mais informações

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem