Vacina contra gripe H1N1: 30 casos suspeitos em Vilhena

Procura por vacina da gripe contra H1N1 em Vilhena cresce após casos suspeitos. Farmacêutica diz que teve que um pedido cinco vezes maior que o normal. Mais de 30 casos suspeitos no município foram registrados; 3 morreram.

Assustados com o aumentos do número de casos suspeitos de pessoas contaminadas pela influenza H1N1, os moradores de Vilhena (RO), procuraram os postos de saúde do município, distante cerca de 700 quilômetros de Porto Velho, para serem imunizados. A procura foi tão grande, que as doses restantes da campanha de vacinação foram insuficientes. Por conta disso, a única farmácia que vende a vacina.
 

Vacina contra Gripe em Maringá

Vacina contra Gripe em Maringá

A farmacêutica Adriana Cláudia Baldin trabalha farmácia e conta que, há três semanas, a procura pela vacina contra a gripe teve um aumento significativo. “Eu fazia um pedido de cerca de 200 doses, mas já tive que fazer mais uns cinco pedidos da mesma quantidade”, conta.
 
A zeladora Cristiane de Souza, de 31 anos, procurou pela vacina em todos os postos antes de comprar a dose. A zeladora diz que, com o aumento dos casos, tem medo que a situação piore. “O que nos falam é que não se trata de uma epidemia, mas tenho medo. É melhor prevenir”, diz.
 
A estudante Ana Cláudia Bernardes, de 23 anos, também diz estar com medo. A jovem afirma que sabia que não havia mais vacinas disponíveis e por isso foi direto na farmácia. “Os casos suspeitos só aumentam, os funcionários do hospital trabalhando com máscaras e já teve algumas mortes. Dá medo, melhor já se prevenir contra a doença”, diz.
 
Segundo a farmacêutica, a procura não foi só por pessoas da cidade de Vilhena, mas também de Cacoal (RO) e até Comodoro (MT) de onde vieram os primeiros casos da doença. Cláudia afirma que a maioria das pessoas que procuram pela vacina não é do grupo prioritário.
 
Casos registradados
Já foram registrados 34 casos de pessoas com a suspeita de contaminação pelo vírus influenza H1N1, no período de janeiro a junho deste ano, em Vilhena. O Laboratório Central de Saúde de Rondônia (Lacen) enviou 65 amostras para laboratório de São Paulo, destes 9 casos foram confirmados no estado. Quatro casos já foram confirmados, sendo três mortes na cidade. A coordenadora estadual da influenza, Josefa Lourdes Ramos, descarta uma epidemia da gripe.